Mês do Orgulho LGBTIQI+

Você provavelmente já sabe que junho é o Mês do Orgulho LGBTIQI+. Mas qual a origem desta data? Neste artigo, contaremos um pouco mais sobre essa história.

Como surgiu o movimento LGBTQI+?

O surgimento simbólico do movimento LGBTQI+ se deu no bar Stonewall Inn, frequentado principalmente por homossexuais e pessoas trans em Nova York. Ali, eram comuns as batidas policiais e cenas de preconceito, até que os frequentadores resolveram se insurgir.

Os confrontos abertos chamaram a atenção para a situação a que aquele grupo era submetido e levaram à maior articulação das pessoas LGBTQIAP+, que naquele momento reivindicavam, sobretudo, direito à visibilidade.

O Movimento enfrenta muitas lutas, uma delas é ter os seus direitos básicos assegurados. Ainda que tenham conquistado muito nas últimas décadas, é preciso seguir pela conscientização da população, principalmente se levarmos em consideração que o Brasil é o país que mais mata homossexuais em todo o mundo.

Por que a bandeira do movimento tem as cores do arco-íris?

Movimento LGBT é representado pela bandeira com as cores do arco-íris, sendo um dos símbolos mais conhecidos em todo o mundo. Surgiu no ano de 1978, criada pelo artista norte-americano Gilbert Baker, popularizada como símbolo do orgulho gay.

Segundo alguns estudiosos, o artista teve como inspiração a cultura dos hippies, que enxergavam no arco-íris um simbolismo para paz, além da canção “Over the Rainbow”, presente no filme clássico “O Mágico de Oz”.

Como que as empresas que vocês trabalham lidam com a diversidade?
O mês de junho, mês do orgulho LGBTQI+, traz ao mundo corporativo milhares de empresas com suas logos coloridas e histórias de diversidade.
Felizmente, o número de ambientes de trabalho mais diversos têm aumentado e as pessoas têm falado mais sobre o assunto, não somente no mês de junho.

É lindo ver muitas empresas e pessoas se posicionando e é mais lindo ainda usarmos dessa visibilidade para não esquecer de buscar informação e aprender mais sobre o tema para podermos promover a diferença nos espaços que ocupamos!

No entanto, ainda é enorme o número de empresas que mostram um posicionamento legal, mas que não reflete o que é praticado, de fato. Outras nem ao menos se posicionam ou mostram apoio. Você já parou pra pensar como a sua empresa lida com a questão da diversidade e a inclusão dentro do ambiente corporativo?

Aqui na WiPlay reafirmamos o nosso compromisso de respeitar e dar oportunidades a todas as pessoas, independentemente de identidade de gênero, orientação afetivossexual, raça, deficiência, origem ou qualquer outra característica.

Empresas se unem a pauta, mas o cenário está longe de ser o ideal

Um estudo da Universidade Federal do Estado do Rio de Janeiro – a Unirio – publicado em 2020, mostra que metade dos LGBTQI+ esconde a sexualidade no ambiente de trabalho por medo de represálias.

O levantamento também mostra que 35% daqueles que decidir e assumir homossexuais já sofreram algum tipo de discriminação velada ou direta.

Pesquisa feita pela Associação Nacional de Travestis e Transsexuais, a Antra, mostra que 90% das mulheres trans hoje se encontram na prostituição por falta de oportunidade de trabalho. E quando há uma oportunidade, as empresas ainda não estão preparadas para receber essas pessoas.

Conclusão

Não se muda uma realidade que não se vê e para gerar mudança é preciso ter consciência e acima de tudo: respeito! Entendemos que construir um mundo de negócios melhor só é possível se valorizarmos talentos diversos e promovermos cada vez mais um ambiente inclusivo.

Você pode gostar...

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *